Enzima que torna mais eficiente o processo
de sacarificação de biomassas lignocelulósicas

ARABINOSIDASE

O QUE É

Enzima que facilita o acesso de outras enzimas aos polímeros de xilose e a outras frações da pectina, tornando mais eficiente o processo de sacarificação de biomassas lignocelulósicas. Essa enzima é uma arabinofuranosidase, que auxilia na desconstrução de polissacarídeos da parede celular vegetal conhecidos como arabinoxilana e arabinana (componente da pectina).

DIFERENCIAIS DA TECNOLOGIA

O design diferenciado proposto pelo CNPEM para o sítio ativo da enzima permite que ela reconheça e remova tanto decorações únicas quanto duplas, independente delas estarem na extremidade do polímero ou no meio da cadeia, simplificando o processo de desconstrução de biomassas ricas em arabinoxilanas, tais como o bagaço da cana-de-açúcar, fibras de algodão e gramíneas. Esse design permite a remover todos os tipos possíveis de decoração de arabinose presentes em arabinoxilanas.

POSSÍVEIS APLICAÇÕES

  • Composição de coquetéis enzimáticos para a sacarificação de biomassas ricas em arabinoxilana, como, por exemplo, o bagaço de cana-de-açúcar. Comparativamente a uma composição base composta principalmente por celulases, o know-how do CNPEM permite definir a quantidade apropriada de suplementação capaz de aumentar em mais de 10% a atividade total do coquetel.

OPORTUNIDADES PARA EMPRESAS

  • Licenciamento 
  • Spin-off/criação de start-up 
  • Co-desenvolvimento de tecnologia/transferência de know-how

PROPRIEDADE INTELECTUAL

Titular: CNPEM
Desenvolvimento: avançado (piloto)
Nº da PI: BR 10 2018 003572 0

FALE CONOSCO

Patrícia Toledo
Gestora de Inovação
+55 (19) 3518-2542
inovacao@cnpem.br

FINANCIAMENTO

© Copyright - Laboratório Nacional de Biorrenováveis (LNBR)