Planta Piloto para Desenvolvimento de Processos

A Planta Piloto é utilizada para desenvolver em ambiente de relevância industrial tecnologias ligadas à aplicação de biorrenovaveis e processos ligados à economia circular.  Na Planta Piloto é possível desenvolver aparatos experimentais com o intuito de reproduzir condições industriais relevantes, assim trazendo a robustez industrial para a tecnologia a ser desenvolvida. A instalação está equipada para validar indicadores tecno-econômicos e de sustentabilidade de processos, desta forma, é possível minimizar os riscos de aumento de escala, prever gargalos e otimizar processos e estimativas de investimento (capital e operacional). A instalação é totalmente modular e instrumentada, e as unidades são controladas através de software de automação e arquitetura similar aos aplicados em unidades industriais.

É uma estrutura singular nacionalmente pela flexibilidade na sua concepção e capacidade de seus equipamentos. Sua versatilidade em interligar os equipamentos a torna compatível com uma grande gama de processos.

A Planta é composta por três grandes plataformas: Processamento de Biomassa, Processos Físico-Químicos e Bioprocessos.

  • Plataforma de Condicionamento de Biomassa: cobre todas as etapas do processamento da biomassa: recebimento, manipulação, preparação e armazenamento da matéria-prima para o posterior tratamento físico-químico. Nesta instalação é possível realizar o processamento de material em escala de bancada. Destaque para sistema de limpeza a seco e sistema de moagem/fracionamento de biomassa.
  • Plataforma de Processos Físico-químicos: possui equipamentos multifuncionais nos quais podem ser realizados estudos e avaliações de diversos tipos e condições de processos, aplicados à biomassa, com base no uso de solventes, ácidos ou álcalis para catalisar as reações dos processos desenvolvidos. Esta plataforma também possui a infraestrutura necessária para avaliar os processos de separação, desintoxicação e concentração das correntes downstream dos processos. Nesta instalação é possível realizar o processos em escala de bancada. Destaque para reatores com capacidade de operação em alta pressão e temperatura e grande compatibilidade química.
  • Plataforma de Bioprocessos: possui equipamentos para conduzir processos de fermentação, hidrólise enzimática ou química, separação e purificação de células e/ou bioprodutos. Destaque ao setup de biorreatores que tornam possível a aplicação de processos aeróbicos/anaeróbios e diferentes estratégias de controle/alimentação.

Principais competências e técnicas experimentais:

  • Desenvolvimento de processos físicos, químicos e biológicos;
  • Escalonamento de bioprocessos (TRL3 – TRL6) para diferentes plataformas microbianas (fungos, leveduras e bactérias).
  • Desenvolvimento de etapas de separação (downstream) de bioprocessos;
  • Desenvolvimento de aparato experimental para compreender questões de relevância industrial ligadas a biotecnologia.

Início de operação: 2013 e 2013 para usuários externos.

Citação obrigatória a ser utilizada nos trabalhos de usuários

Esta pesquisa utilizou instalações do Laboratório Nacional de Biorrenováveis (LNBR), do Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM), uma Organização Social supervisionada pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI). A equipe da instalação (NOME DA INSTALAÇÃO) é reconhecida pela assistência durante os experimentos (números das propostas).