Notícias

Biomassa Florestal – Eucalyptus e Pinus

O gênero Eucalyptus é originário da Austrália, Tasmânia e outras ilhas da Oceania, pertencente à família das Myrtaceae. Este gênero possui mais de 700 espécies conhecidas botanicamente, com propriedades físicas e químicas muito diversas. Dessa forma, diferentes espécies de eucalipto são usadas para as mais diversas finalidades como, lenha, estacas, moirões, dormentes, carvão vegetal, celulose e papel, chapas de fibras e de partículas, até movelaria, geração de energia, medicamentos, entre outros.

Além disso, algumas espécies são de rápido crescimento e grande capacidade de adaptação a diferentes regiões, sendo o principal gênero florestal plantado no Brasil, com grande importância na economia do país. Segundo a Indústria Brasileira de Árvores, em 2018 5,7 milhões de hectares foram plantados com eucalipto, com uma produtividade média de 36 m³/ha/ano. As plantações de eucalipto estão localizadas principalmente nos estados de Minas Gerais (24%), São Paulo (17%) e Mato Grosso do Sul (16%).

O gênero Pinus é o segundo gênero florestal mais cultivado no país; pertence à família Pinaceae, com aproximadamente 90 espécies identificadas. As florestas de pinus no Brasil vêm sendo cultivada comercialmente desde a década de 60, sendo uma das principais fontes de matéria-prima para a indústria da madeira. Estão localizadas principalmente na região sul do país, onde o clima, com temperaturas amenas favorece o seu desenvolvimento. Todavia, o gênero pode ser cultivado em diferentes regiões, de acordo com a adaptabilidade às condições de clima e solo de cada espécie. Desse modo o pinus pode ser destinado a múltiplas finalidades, como serraria, indústria de celulose e papel, painéis, resinas, estéticas, dentre outras.

No Brasil, a plantação de pinus representa cerca de 20% das florestas plantadas, contribuindo de forma contundente no enfrentamento do impacto do desmatamento de árvores nativas. De acordo com a Indústria Brasileira de Árvores, em 2018 os plantios de pinus ocuparam 1,6 milhões de hectares e concentram-se no Paraná (42%) e em Santa Catarina (34%), seguidos de Rio Grande do Sul (12%) e São Paulo (8%).

O principal uso da madeira de eucalipto e pinus no Brasil é na indústria de celulose e papel. No entanto, essas duas biomassas florestais apresentam características que permitem sua utilização de variadas formas, tais como carvão, pela queima da madeira; resíduos da exploração, produção de painéis de madeira, além da produção de biocombustíveis, dentre outros. Nesse sentido, a madeira de eucalipto e pinus, por ser uma biomassa lignocelulósica, pode ser utilizada como uma matéria-prima para a produção de diversos biocombustíveis de maior valor agregado como o bio-óleo, o etanol celulósico e o biometano através de diferentes rotas térmicas, químicas e/ou bioquímicas. Além da própria madeira, durante o desdobro é gerada uma grande quantidade de resíduos (galhos, cascas, ponteiras) destes cultivos que pode ser aproveitado para geração de energia.

Referências consultadas:

EMBRAPA, Sobre o Eucalipto, 2019. https://www.embrapa.br/florestas/transferencia-de-tecnologia/eucalipto/tema. Acesso em 10/01/2020.

IBÁ. Indústria brasileira de árvores. Relatório Anual. 2019, 1, 80.

SOARES, T.S.; CARNEIRO, A.C.O.; GONÇALVES, E.O.; LELLES, J.G. Uso da biomassa florestal na geração de energia. Revista Científica Eletrônica de Engenharia Florestal, Ano IV, Número, 08, agosto de 2006.