CTBE tem participação expressiva no BBEST 2014, em Campos do Jordão

Teve início nessa segunda-feira, 20/10, o 2nd Brazilian BioEnergy Science and Technology Conference (BBEST), em Campos do Jordão, no interior de São Paulo. O evento traz especialistas de várias partes do globo para debater resultados científicos e tecnológicos ligados à produção de bioenergia, assim como políticas públicas e empresariais voltadas ao desenvolvimento desse setor. O…

Fermentação VHG com o dobro de etanol e 60% menos vinhaça

[av_hr class=’invisible’ height=’15’ shadow=’no-shadow’ position=’center’ custom_border=’av-border-thin’ custom_width=’50px’ custom_border_color=” custom_margin_top=’30px’ custom_margin_bottom=’30px’ icon_select=’yes’ custom_icon_color=” icon=’ue808′ font=’entypo-fontello’ custom_class=” av_uid=’av-4vlv2h’] Um novo processo de fermentação alcoólica foi desenvolvido no Laboratório Nacional de Ciência e Tecnologia do Bioetanol (CTBE), em parceria com a empresa BP. A tecnologia, que possui ganho de eficiência de até 7%, é intitulada VHG (Very High…

Coquetel enzimático do CTBE para a produção de etanol 2G

[av_hr class=’invisible’ height=’15’ shadow=’no-shadow’ position=’center’ custom_class=” av_uid=’av-anahm’] As primeiras usinas de etanol 2G (segunda geração) devem entrar em operação no Brasil ainda em 2014. Com isso, passa-se a utilizar o bagaço e a palha da cana-de-açúcar para produzir biocombustível, ampliando a oferta do produto sem expandir a área de cana cultivada. Por outro lado, grande…

Tinta látex com bagaço de cana-de-açúcar

Ideias simples podem gerar inovações proeminentes. A pesquisa vencedora do 15o Prêmio ABRAFAT I de Ciência em Tintas é um exemplo que comprova essa teoria. O estudo, que teve a participação do pesquisador recém-contratado pelo Laboratório Nacional de Ciência e Tecnologia (CTBE), Adilson Roberto Gonçalves, mostrou diversos benefícios da adição da biomassa de cana-de-açúcar em…

Nova espécie de levedura pode acelerar a produção de etanol 2G

Transformar biomassa em combustível dá trabalho. No caso da cana-de-açúcar, principal matéria-prima estudada para esse fim no Brasil, são necessários processos que quebrem a biomassa ligonocelulósica em açúcares simples, fermentáveis. Tais operações são executadas por sofisticados complexos enzimáticos, obtidos a partir de diversos tipos de microorganismos. Quando tudo dá certo, ainda é preciso lidar com…